Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Infectologia’ Category

O outono chegou, e com ele o fantasma da Influenza H1N1.

Neste ano temos novidades quanto à prevenção da famosa gripe: além da lavagem de mãos, do álcool-gel (sucesso absoluto de vendas!) e dos lencinhos descartáveis, chega até nós a vacina. Ufa! Será que não precisaremos mais lavar as mãos???

Brincadeiras à parte, a campanha de vacinação chegou, está indo de vento em popa, toda a população ávida para receber sua dose. Mas, como sabemos, vacinação em massa significa aumento dos casos de reações adversas, e é bom estarmos preparados para os casos que vão – ou já estão – batendo à nossa porta. A ANVISA lançou, em 12 de março, a versão atualizada do Protocolo de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação – H1N1. Nele, podemos obter informações sobre os tipos de vacinas aplicados, esquema vacinal para os diversos grupos populacionais e, é claro, os eventos adversos esperados e como lidar com eles.

Também no grupo de protocolos atualizados, o Ministério da Saúde lançou, em 25 de março, o Protocolo para o Enfrentamento à Pandemia de Influenza Pandemica (H1N1) – Ações da Atenção Primária à Saúde. Imprescindível para quem atua no front: Ambulatórios, Centros de Saúde, Pronto Atendimentos e Pronto Socorros.

Para nós, profissionais da saúde, a prevenção passa pela vacina – e também pela informação atualizada. Previnam-se!

Anúncios

Read Full Post »

Enquanto aqui no Brasil se discute a venda livre de medicamentos nas farmácias, os europeus estudam os resultados de campanhas públicas orientando médicos e população sobre o uso racional de antibióticos.

Em um artigo publicado na Lancet, pesquisadores da Bélgica, Holanda e Suíça realizaram um estudo para identificar e rever as características e resultados de 22 campanhas realizadas em nível nacional ou regional em países de alta renda entre 1990 e 2007 que tinham como finalidade educar o público quanto ao uso apropriado dos antibióticos fora do hospital.

A intensidade das campanhas foi muito variável, desde anúncios simples na internet até extensas campanhas em veículos de massa. Apenas 1 campanha não atacou simultaneamente o público e os médicos.

A maioria das campanhas que foram formalmente avaliadas causou uma redução aparente no o uso dos antibióticos, porém o efeito sobre a resistência microbiana não pode ser avaliado de forma adequada neste momento.

A conclusão foi que embora as intervenções mais efetivas e os potenciais eventos adversos permaneçam desconhecidos, as campanhas públicas provavelmente podem contribuir para um uso mais cuidadoso dos antibióticos pelos pacientes, pelo menos nos países que mais prescrevem.

Espero que em breve cheguemos lá!

(Fonte: Clipping Bibliomed)

Read Full Post »

porcoO Ministério da Saúde atualizou seu Protocolo para o atendimento e vigilância da Influenza A (H1N1) em 05/08/2009. A grande novidade é a descentralização do fornecimento do oseltamivir para os casos em que a medicação está indicada – grupos de risco ou quadros clínicos mais graves.

Com isso, todos os médicos poderão prescrever o antiviral se assim considerarem necessário.

Por um lado, evita-se a aglomeração de pessoas doentes em busca da medicação nos hospitais de referência. Por outro, espera-se dos colegas o bom senso na prescrição da medicação.

E tentarmos, mesmo diante da enorme pressão da demanda e do pânico geral, fazer bom uso da palavra, orientando a população sobre a doença, os riscos e benefícios do vangloriado oseltamivir…

Read Full Post »

imagesAproveitando o clima do mês dos namorados e de Santo Antônio, trago aqui uma super pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde sobre o nosso comportamento sexual (uau!!!!). Nada menos do que 8.000 pessoas foram entrevistadas, entre setembro e novembro do ano passado. Veja aqui o que descobriram sobre você debaixo dos lençóis!

(agradecimentos à  Profª Drª Rose Amaral)

Read Full Post »

O Ministério da Saúde modificou aspectos fundamentais do Protocolo de Procedimentos para o Manejo de Casos e Contatos de Influenza A (H1N1), em sua versão IV, atualizado em 02/06/2009. Segundo este documento: “mesmo considerando a limitação dos dados disponíveis, a OMS divulgou novas orientações para o manejo clínico dos casos,” e “foram revistas as definições de caso, visando adaptar as normas da vigilância epidemiológica no Brasil à situação atual”.

Importante o conhecimento destes novos dados.

(agradecimentos à equipe da COVISA – Campinas)

Read Full Post »

AmigdaliteNesta época do ano, uma das maiores causas de visitas ao Pronto Socorro é a bendita amigdalite. E quem nunca sofreu com uma?

O grande dilema para quem está lá, na porta do PS, é a etiologia da infecção. Viral ou bacteriana? Prescrever ou não prescrever antibióticos?

Para dar uma ajudinha nestas respostas, selecionei dois artigos. O primeiro é um trabalho feito em 2004 (porém ainda muito válido) por pediatras da Santa Casa de São Paulo. Nele, foi visto que apenas 24,4% das culturas de orofaringe foram positivas para Streptococcus pyogenes (beta hemolítico do grupo A), o grande vilão da febre reumática. O segundo é uma Recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) sobre a conduta em crianças e adolescentes com faringoamigdalites. A SBP facilitou um pouco as coisas, mostrando em quais características clínicas podemos nos basear para o tratamento, visto que não é em qualquer serviço que dispomos de cultura de orofaringe e/ou testes rápidos, e também a demora relativa para que a cultura mostre o resultado. Enfim, determinou alguns casos em que seria realmente importante a coleta de material para cultura, obviamente a minoria.

Vale a pena ler antes do próximo plantão!

(agradecimentos à Prof. Dra. Tânia Quintella)

Read Full Post »

O Ministério da Saúde publicou, em 10/05/2009, um novo protocolo de procedimentos em influenza H1N1. Em relação à versão anterior, este documento detalha as ações a serem tomadas junto aos contatos de pacientes suspeitos, indicação e conceituação de quarentena e isolamento domiciliar.

Read Full Post »

Older Posts »